GCW - PROJETO REENCONTROS - COLÉGIO ESTADUAL MANOEL DEVOTO
PROJETO REENCONTROS
COLÉGIO ESTADUAL MANOEL DEVOTO
Salvador - Bahia

  ÍNDICE GERAL
  Início
  O Colégio - Fotos
  Sua História
  Biografia
  Dr. Manoel Carlos Devoto
  HINOS
  Colégio Manoel Devoto
  Cadastre-se
  Mensagens (Ler e Enviar)
  Professores
  Ex Professores
  Alunos
  Ex Alunos
  Funcionários
  Ex Funcionários
  FAMAD
  Notícias
  VAGAS-Empregos, Cursos
                e Concursos
  Aniversariantes
  Chat Texto - Sala Um
  Chat Texto - Sala Dois
  Chat Texto e Audio
  Dias Feriados e
  Comemorativos
IMPORTANTE LER
  Segurança
  Privacidade
  Quem Somos
ÚTEIS
  Suporte ao Vivo (Ajuda)
  Fale Conosco
  E-Mail para todos
  Cartões
  Administração
GCW
Grupo Casa WebAbaixo, nosso patrocinador


Quem foi Manoel Devoto?


Biografia

            Dr. Manoel Carlos Devoto    Dr. Manoel Carlos Devoto

         Nascido no Estado da Bahia no ano de 1853,
         o Dr. Manoel Carlos Devoto foi:

         Formado em medicina.
         Escreveu sua tese para doutorado da FAMEB - Faculdade de Medicina da Bahia no ano de 1875, "Signaes diagnosticos fornecidos pelo exame das ourinas".

         Antiga Faculdade de Medicina da Bahia.
                                                 Antiga Faculdade de Medicina da Bahia
         O prédio do Terreiro de Jesus constitui, na verdade, o monumento arquitetônico civil mais importante do centro histórico da primeira capital do Brasil. No local, desde 1551 existiu o Colégio dos Meninos da Companhia de Jesus, o estabelecimento educacional modelo dos jesuítas nas Américas, no século XVII. Ali trabalhou o padre Antônio Vieira, notável expressão da nossa cultura. Com a expulsão dos jesuítas, o prédio abrigou o Hospital Real Militar. Em 18 de fevereiro de 1808, recebeu o primeiro curso de medicina, cirurgia e de partos no Brasil. Transformado posteriormente, em 1832, na primeira faculdade de Medicina do país – que funcionou neste local até 1974.

         - FAMEB 0088 - 368 página 27. GMBahia - Teses doutorais da FAMEB 1840 - 1928.

         Educador.
         Formado como Bacharel em Francês pelo Lyceu Provincial da Bahia.

         Professor permanente de Francês (Lyceu) do Gymnasio da Bahia a partir de 1882.

         Em 25 de julho de 1882, participou do concurso de francês realizado pelo Lyceu Provincial da Bahia, juntamente com os doutores José Carneiro de Campos, Henrique Guedes de Mello, José Eduardo Mendes, Arthur Americano da Silva, Francisco Muniz Barreto, José Moreira Coelho e Cândido Seraphim Alves, ficando classificado em segundo lugar.
         Sendo nomeado para a cadeira, tomando posse em 23 de agosto de 1882.


         Patrono da Academia Baiana de Educação. Academia Baiana de Educação
         Cujos acadêmicos titulares na época eram - Adelmo Soares Pessoa e Manoel Joaquim Fernandes de Barros Sobrinho.

         De 28/05/1896 a 27/05/1900 Inspetor de ensino no Governo de
  Governador Luiz Vianna   Luís Vianna.

         Em 15 de fevereiro de 1898, assumiu o cargo de Diretor do Gymnasio da Bahia, hoje Colégio Estadual da Bahia, Central, no qual permaneceu 20 anos, de 1898 a 1918.
        
Gymnasio da Bahia

                                                                                        Gymnasio da Bahia

         De 29/03/1916 a 28/03/1920 Diretor Geral de Instrução no Governo de Antônio Ferrão Moniz de Aragão. Governador Antônio Ferrão Moniz de Aragão

         Vernáculo de Manoel Carlos Devoto sobre a instalação do Lyceu Provincial da Bahia cuja a acta da solene instação do Lyceu não foi encontrada, queixa feita em 1923 pelo Dr. Manoel Carlos Devoto, ao elaborar sua "Breve notícia sobre a Instrucção Secundária na Bahia", escrita para o centenário da Independência da Bahia, em 1923.
         "No dia em que, rôtos os grilhões do cativeiro, nos constituimos em nação independente, abriram-se para a mocidade estudiosa as portas desse tempo".
                                                                                                 (Manoel Devoto)

         Manoel Devoto tambem fez parte da Irmandade do Divino Esprito Santo, fundada em 18 de fevereiro de 1770, por portugueses do arquipélago dos Açores, onde esta tradição medieval se preservou e foi trazida para o Brasil.

         O Dr. Manoel Carlos Devoto faleceu em 20 de outubro de 1931 aos 78 anos de idade.

         Em 29 de outubro de 1931, o Dr. José Wanderley de Araújo Pinho, enviou do Rio de Janeiro, RJ, carta de pêsames pela morte de Manuel Devoto, comentando sobre o andamento de seu processo, as obras da Casa do Roçado e a situação política do país.

         Em 30 de novembro de 1931, no Gymnasio da Bahia, foi inaugurado o Salão Nobre Manoel Devoto no qual foi afixada uma placa de mármore em sua homenagem.

         O Dr. Manoel Carlos Devoto, tambem foi homenageado pela Câmara de Vereadores, tendo o seu nome emprestado a uma rua localizada em um dos mais tradicioanais bairros da cidade do Salvador, estado da Bahia. No bairro dos Barris, encontramos a rua Manoel Carlos Devoto.

         Em seu segundo período de governo (1959 a 1963), o governador Juracy Magalhães, através da Secretaria de Educação e Cultura, construiu o Colégio Estadual no bairro do Rio Vermelho, na cidade do Salvador, estado da Bahia, dando a ele o nome de Manoel Devoto, em homenagem ao grande educador baiano.

         Observação: Algumas palavras foram escritas propositadamente usando a ortografia da época, como por exemplo, SIGNAES; GYMNASIO; LYCEU; ACTA entre outras, como uma curiosidade a mais.


Fontes e Bibliografia


         Academia Baiana de Educação, fundada em 9 de setembro de 1982, a Academia Baiana de Educação “tem por finalidade estudo e pesquisa, definição e interpretação dos fatos, fenômenos e problemas da educação e ensino na sua acepção geral”. Sendo um “órgão de cooperação cultural, consultas, incentivos, promoções e realizações no campo educacional”.

         Biblioteca Pública do Estado da Bahia (antiga Biblioteca Central).
A Biblioteca Pública do Estado da Bahia deve desempenhar, com eficácia, sua função social de centro de cultura, leitura e informação, disponibilizando, para o usuário, todo tipo de conhecimento. Oferecer serviços baseando-se na igualdade de acesso para todos, independente de idade, raça, sexo, religião, nacionalidade, língua e classe social, servindo de referência para outras bibliotecas públicas.
Departamento de Obras Raras e Valiosas - A coleção de obras raras possui cerca de 60.000 títulos e está constituída por obras publicadas do século XVI ao século XX, abrangendo todas as áreas do conhecimento. São publicações que permanecem à disposição de pesquisadores, estudiosos e bibliófilos, obras de grande valia que se revelam testemunhos da história.

         Ensino Secundário Oficial na Bahia
         Edição de 1937 - Imprensa Oficial do Estado da Bahia
Autores:
  Gelásio de Abreu Farias   Gelásio de Abreu Farias e
  Francisco da Conceição Menezes   Francisco da Conceição Menezes

         Instituto Cid Teixeira.
         O Instituto Cid Teixeira é o organizador e mantenedor do acervo particular do Professor Cid Teixeira. O acervo compreende livros, fotos, documentos históricos, reportagens de jornais, áudio e vídeo de palestras proferidas.

         Fundação Pedro Calmon - Centro de Memória e Arquivo Público da Bahia.
         A Fundação Pedro Calmon foi criada em 29 de Abril de 1986. Sua finalidade é o recolhimento, organização, preservação e divulgação dos acervos documentais provenientes de arquivos públicos e privados, que evidenciem a memória histórica, geográfica, administrativa, técnica, legislativa e judiciária da Bahia e também estimular e promover as atividades relacionadas com bibliotecas, organizando, atualizando e difundindo seus acervos.

         IHGB - Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, fundado em 1838, tem por finalidades coligir, metodizar, publicar ou arquivar os documentos necessários para a História e a Geografia do Brasil...", hoje alargadas em leque abarcando as demais Ciências Sociais.

         Cartilha Histórica da Bahia – A república e seus governadores
História da Educação Brasileira - Unicamp

         Bahia de todos os fatos: cenas da vida republicana, 1889-1991
Vários autores
Assembléia Legislativa da Bahia

         A Bahia e os seus governadores na República
Autor: Antonio Ferrão Moniz de Aragão

         Gazeta Médica da Bahia, fundada em 1866, é um Órgão oficial da Faculdade de Medicina da Bahia da Universidade Federal da Bahia.
         Gazeta Médica da Bahia volume 74 número 1, ISSN 0016-545X, janeiro / junho de 2004.

Agradecimentos


         Nossos sinceros agradecimentos,

         ao Professor Cid José Teixeira Cavalcante;

         a todos da Fundação Pedro Calmon - Centro de Memória e Arquivo Público da Bahia;
         a senhora Raquel de Ávila, Coordenadora do Setor de Documentação Baiana.

         a todos da Biblioteca Pública do Estado da Bahia (antiga Biblioteca Central) em especial, ao departamento de Obras Raras e Valiosas nas pessoas das senhoras Kilma Alves (diretora) e Célia Matos (sub-gerente) ;

         ao amigo Geraldo Edmundo Alves Portela;

         a todos que direta ou indiretamente nos auxiliaram nessa pesquisa.


                                                                              GCW - Equipe Reencontros



Pesquisa de dados e Biografia realizada por:


         Geraldo de Assis Brandão
         Brandão, G.A.
         Ex - Aluno do CEMD turma de 1967 a 1973
         Trabalho registrado no CNPq
         Encontrado na Plataforma Lattes   Veja Aqui

         Coordenação Geral do Projeto Reencontros
                       GCW - Equipe Reencontros


Creative Commons License. Clique aqui e leia as condições de uso.
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.
Todos os direitos reservados.